Close
3 diferentes maneiras de viajar pelo Rio Amazonas

3 diferentes maneiras de viajar pelo Rio Amazonas

Para qualquer mortal que tenha o mínimo de interesse pela natureza e seus encantos, o Rio Amazonas é algo mítico. Não é para menos: além de ser o maior do mundo, é também o único rio do planeta com foz mista (seu encontro com o Oceano Atlântico é algo completamente singular!).

Infelizmente, a qualidade de vida da população amazonense está longe de ser rica na mesma medida do Rio. Chega a ser comum, por exemplo, que pequenas canoas de habitantes locais encostem em navios turísticos para pedir doações: comida, roupas, e até malas cheias são jogadas por aqueles que ficam com o coração partido de ver uma população tão carente e sofrida em meio a um lugar tão exuberante em natureza e recursos. Ao longo de seus quase 7 mil quilômetros e mais de mil afluentes, aldeias indígenas e populações ribeirinhas povoam suas margens, enquanto seu interior é habitado por milhares de espécies de animais – desde tubarões-touro até golfinhos cor-de-rosa! Separamos aqui, três maneiras diferentes de viajar por essa imensidão. Preparado?

1. A maneira mais genuína

Você é daquele tipo de viajante que se interessa mais por conhecer pessoas e culturas do que atrações e pontos turísticos? Então uma viagem através dos navios fluviais é uma ótima opção! Como dá para imaginar, o Rio Amazonas é bastante utilizado pela população local, sendo o principal meio de transporte intermunicipal da região. Além dos ribeirinhos que sobem e desce o rio para ir e voltar de Manaus às suas cidades ou vilarejos, os navios fluviais têm sido uma opção cada vez mais popular entre os turistas, talvez por essa ser a forma mais verdadeira de se entrar em contato com a vida de quem vive na Amazônia. Diferente do que se espera, as embarcações não contam com lugares para sentar. No lugar de cadeiras, os navios fluviais têm todo seu interior tomado por redes de dormir. Um vasto e colorido mar de redes! Isso porque as distâncias são muito longas e seria simplesmente inviável ficar o tempo todo sentado ou em pé. A viagem de Santarém a Manaus, por exemplo, pode durar até 42 horas! Para aguentar a fome, são vendidas refeições básicas em horários definidos (geralmente ao meio-dia e às 18h). Arroz, feijão e carne ou frango. Nada de opções vegetarianas ou mais sofisticadas. A maioria dos barcos também conta com algum lugar vendendo salgadinhos e outros petiscos durante todo o trajeto. Apesar de serem viagens longas e desgastantes para quem vive indo e voltando, os turistas que estejam ali querendo conhecer e entender melhor a Amazônia e seu povo certamente desfrutarão muito da experiência. Além da imensidão do Rio Amazonas e a selva em seu entorno, quem embarca nessa viagem também poderá admirar de perto a receptividade do povo amazonense. Fazer amigos, aprender coisas novas e ouvir boas histórias é garantido!

View this post on Instagram

Viajar de barco pelo Rio Amazonas era um sonho antigo mas, do jeito que eu fiz (por força das circunstâncias, rs), foi mesmo uma experiência para poucas (os) e loucas (os). Nos 3 dias de viagem, em dois barcos diferentes, escutei e vivi histórias que certamente me renderiam um diário inteiro de casos intrigantes. Você embarca na jornada com uma ideia e a viagem te revela momentos completamente inesperados. Dormir navegando no meio da Amazônia, em um ambiente cheio de cores, estampas e muuito calor humano foi algo mágico e inédito. Me encheu a alma poder desfrutar de um despertar com aquela mata verde densa bem ali na minha frente. Ainda de manhã, no meio do caminho, famílias de ribeirinhos se aproximavam da embarcação para receber doações dos viajantes que jogavam sacos com roupas, comidas e até dinheiro. Pessoas que escolheram estar ali, vivendo muito simples, mas com alegria. O sorriso estampado no rosto das crianças não negava. Pra fechar o dia, um pôr do sol de cores e beleza que só aquele cenário tem e, à noite, o breu do céu, iluminado por infinitas estrelas era como ver anjos zelando, lá de cima, por aquela preciosidade de lugar. Viva nossa Amazônia!!! 🙏🏾🌙🍃✨⛴ #amazontrip #rioamazonas #amazonasriver #northofbrazil #boattrip #amazonia #backpackgirl #sheisnotlost #trilheirasdobrasil #nomadedigital #mochileirasdobrasil #trilhasetravessias #braziliansoul #belem #pará #brasil #decatlon #tripaddicts #mulheresdeaventura

A post shared by JuD. (@judaloia) on

2. A maneira aventureira

Para quem é mais de se jogar nas experiências e gosta de aventura, existe sempre a opção de desbravar o Rio Amazonas e sua floresta realmente de perto. Os Hotéis de Selva são a pedida para isso, possibilitando que você se hospede, literalmente, dentro da Floresta Amazônica. Na região de Manaus existem diversos hotéis nesse estilo. Eles fornecem tudo que você poderá precisar com relação à estrutura básica de estadia, orientação e guias para os passeios. Imagina dormir e acordar em meio à selva, rodeado da fauna e da flora mais ricas do planeta, tudo isso com uma estrutura que garante sua segurança e orientação? Nos Hotéis de Selva você terá, todos os dias, uma aventura pela frente. E olha que as opções são tão vastas quanto a própria selva: nadar com golfinhos, explorar a floresta para avistar animais e pássaros exóticos, e até mesmo praticar arvorismo. Isso sem contar as várias cachoeiras em que você pode mergulhar pelo caminho. Também é possível mergulhar na cultura local. Existem diversas tribos indígenas que recebem os turistas interessados em seus modos de vida. A tribo Dessana, por exemplo, se deslocou para um local mais próximo a Manaus justamente para abrir suas portas para o turismo e perpetuar seus hábitos e cultura. Com eles, você poderá participar de rituais de dança e música, conhecer seus artesanatos e até desfrutar um banquete de iguarias indígenas, com saborosos peixes e uma espécie de formiga frita deliciosa!

View this post on Instagram

Esse lugar de paz e tranquilidade 🍃🌿 #please #juma

A post shared by Igor Bento (@igorbentocruz) on

3. A opção luxuosa

O Rio Amazonas é tão, mas tão grande e exuberante, que algumas das mais renomadas empresas de cruzeiros marítimos realizam viagens através dele. Na parte brasileira do rio, são muitas as embarcações de luxo que fornecem esse tipo de serviço. Os passeios mais comuns duram de 5 a 7 dias e descem pelo Rio Negro ou pelo Rio Solimões. Os cruzeiros fluviais não ficam atrás de nenhum transatlântico: piscina, jacuzzi, festas, drinks, comidas, lanchinhos, sobremesas e o que mais você puder imaginar para que possa ver o pôr do sol no Amazonas bem no estilo “patrão”. Aqui não tem essa de dormir de mal jeito na rede: as cabines são super cômodas e luxuosas, com banheiro individual e tratamento VIP. Ainda que um navio de luxo não seja um elemento tão esperado ou mesmo desejado na paisagem amazônica, as empresas também costumam oferecer uma série de passeios de “pé no chão” ao longo das paradas. Desde visitas a moradias ribeirinhas, até a pescaria de piranhas e focagem noturna de jacarés. Portanto, dá para mesclar um pouco de aventura em meio a tanto luxo.

Apesar da fama de ser uma viagem ousada e desafiadora, uma ida à Amazônia para conhecer de perto o maior rio do mundo vale muito a pena! Quem sabe nas próximas férias você não estará navegando numa canoa em busca de jacarés, ou descansando numa rede com vista para o Rio Amazonas, ou até, talvez, participando de algum ritual indígena. As possiblidades são infinitas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close