Close
Cusco e Machu Picchu em 4 dias

Cusco e Machu Picchu em 4 dias

Se você gosta de viajar, certamente já ouviu falar de Cusco, no Peru, vizinha da lendária cidade de Machu Picchu, a terra sagrada da civilização inca. Com uma riquíssima cultura, história encantadora, muitas opções de trilhas e aventuras, além de uma gastronomia única, chega a ser difícil planejar apenas quatro dias de viagem sem ficar com a sensação de estar deixando nada de fora.

Por isso, ajudamos você a montar um roteiro com o melhor de Cusco e Machu Picchu numa rápida viagem de 4 dias!

Dia 1: A chegada em Cusco

Situada a mais de 3400 metros acima do nível do mar, você pode demorar algum tempo para se acostumar ao ar mais rarefeito de Cusco. É por isso que recomendamos que você vá com calma e aproveite seu primeiro dia em Cusco de maneira leve e tranquila. O ideal é reservar o primeiro dia para realizar um city tour por Cusco, que pode ser feito em grupo ou, privada caso você queira uma experiência mais reservada e com maior liberdade. De qualquer forma, é interessante estar acompanhado de um guia local para compreender toda a interessante e rica história dos locais que iremos listar abaixo. O City Tour geralmente contempla os seguintes pontos: a Catedral de Cusco; Qoricancha; Q’enqo; Tambomachay; e PukaPukara.

Dia 2: Conhecendo o Valle Sur

O Valle Sur – em português, Vale Sul – não é um local tão conhecido e visitado pelos turistas como é o Vale Sagrado, mas sua história é igualmente rica e fascinante. Com construções e lugares que remontam a mais de 1000 a.C., o Vale Sul foi o primeiro território habitado no vale de Cusco, ocupado originalmente pelos Marcavalle, uma civilização ainda mais antiga que os Incas. Os principais lugares de interesse são os sítios arqueológicos de Tipón, Pikillacta e Raqchi. Tipón é um dos maiores exemplos de plataformas agrícolas das culturas pré-colombianas. Ali também vemos um complexo de templos, canais de irrigação e aquedutos bastante avançados para a época. Pikillacta era uma pequena cidade pré-inca construída inteiramente de argila pela cultura Wari, entre os anos 700 e 900 d.C. Já em Raqchi, o turista encontra o que um dia foi um local feito para se venerar o deus Wiracocha, para os Incas e outras culturas andinas, o criador do universo.

Dia 3: O Vale Sagrado dos Incas

A área conhecida como Valle Sagrado tem uma extensão de mais de 100km, e compreende toda a área localizada entre a cidade de Pisaq e Machu Picchu, com diversos povos e comunidades, além de ruínas impressionantes. Os tours costumam incluir uma visita aos sítios arqueológicos de Pisaq e Ollantaytambo, além dos Salares de Maras, cada lugar com seu encanto próprio, como mostramos a seguir. A primeira parada costuma ser em Pisaq, um dos maiores complexos arqueológicos do país e situado na colina mais alta da cidade, a quase 3 mil metros de altitude. Os Salares de Maras vêm logo em seguida. São mais de 3 mil piscinas de sal, construídas ainda no período da civilização Inca e até hoje em funcionamento utilizando exatamente o mesmo método de extração de centenas de anos atrás. Por último, Ollantaytambo impressiona os visitantes com uma monumental fortaleza de muros gigantes e uma arquitetura impressionantemente bonita e bem trabalhada e com terraços ou plataformas agrícolas bastante semelhantes às de Tipón, no Valle Sur. Ao final de todos estes passeios, o ideal é que você permaneça na cidade de Ollantaytambo para pegar o trem para Aguas Calientes – a cidade onde se encontra Machu Picchu – bem cedinho no dia seguinte.

Dia 4: Machu Picchu, a atração principal

Certamente, Machu Picchu é a principal atração do roteiro através dos encantos da civilização Inca. Construída durante o século XV, considerada como Patrimônio Mundial pela UNESCO e eleita uma das sete maravilhas do mundo moderno, a “cidade perdida dos Incas” é encantadora por si só. São várias as características que fazem a fama dessa maravilha arqueológica: além de ter estado “escondida” na selva por mais de 400 anos, sendo conhecida apenas por alguns nativos da área, a cidade inteira é formada por pedras que se encaixam perfeitamente. A impressionante vista das montanhas ao redor das ruínas compõe um cenário simplesmente encantador, isso sem contar as maravilhas arquitetônicas que podem ser vistas por lá, como por exemplo o Intihuatana: um artefato entalhado em pedra com fins religiosos e astronômicos, servindo também como um calendário solar que ajudava a reger as atividades agrícolas de toda a civilização Inca. Uma tecnologia digna de um povo com conhecimentos bastante avançados. Ao final do passeio principal, o mais comum é que os turistas voltem a Aguas Calientes, pegando um trem de volta à cidade de Ollantaytambo. Mas você também pode escolher ir para as cidades de Poroy ou Urubamba para dar uma esticadinha no seu roteiro.

Outras opções de roteiro:

O itinerário que mostramos aqui é uma das formas mais rápidas de se conhecer o que há de mais encantador e diferente em terras peruanas. Mas você também pode escolher fazer uma viagem muito mais completa, viajando por terras incas por algumas dezenas de dias. Caso você goste de fazer trilhas, o caminho feito de trem até Aguas Calientes pode também ser percorrido numa caminhada de 45km que dura 4 dias. Uma verdadeira aventura Inca!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close