Close
10 pintores impressionistas que revolucionaram a arte

10 pintores impressionistas que revolucionaram a arte

Do inimitável Monet a mulheres fabulosas como Mary Cassatt, Musement compartilha dez pintores impressionistas que foram fundamentais para esse movimento artístico do século XIX.

Provavelmente não há um grupo de artistas cujo trabalho seja tão famoso quanto os impressionistas. Um movimento artístico do século XIX, nascido na França, o impressionismo foi caracterizado não apenas pela pintura principalmente ao ar livre e “no local”, mas também por um desvio do natural para enfatizar a luz e incorporar o movimento. Em 1874, um grupo de 30 artistas organizou uma exposição de seus trabalhos em Paris, e o resto é história. O movimento então gerou o pós-impressionismo, que incluía Van Gogh e Cézanne entre seus membros.

Confira dez dos principais pintores impressionistas.

1. Claude Monet, 1840 – 1926

Indiscutivelmente, não há nome que seja tão sinônimo do impressionismo quanto Monet e não há obras tão emblemáticas do movimento quanto sua série Water Lillies. O artista residia em Giverney, na sua propriedade na Normandia, equipado com um jardim aquático japonês. Embora ele nunca tenha visitado o Japão, o país o inspirou. A obra de Monet, Impressão, nascer do sol (1872), que deu nome ao movimento artístico. No entanto, o apelido foi transmitido com faceta, pois muitos não conseguiam entender como esse estilo era realmente arte.

2. Édouard Manet, 1832 – 1833

Embora ele se considerasse mais realista, Manet merece uma menção, pois é conhecido por construir a ponte entre o realismo e o impressionismo. A pintura The Luncheon on the Grass em exposição no Museu de Orsay é um dos trabalhos mais famosos do pintor, mostra uma mulher nua compartilhando o almoço com dois cavalheiros totalmente vestidos enquanto outra mulher toma banho no lago … interprete o cenário como preferir.

View this post on Instagram

Le Déjeuner sur l'herbe (The Luncheon on the Grass) – originally titled Le Bain (The Bath) – is a large oil on canvas painting by Édouard Manet created in 1862 and 1863. It depicts a female nude and a scantily dressed female bather on a picnic with two fully dressed men in a rural setting. Rejected by the Salon jury of 1863, Manet seized the opportunity to exhibit this and two other paintings in the 1863 Salon des Refusés, where the painting sparked public notoriety and controversy. The work is now in the Musée d'Orsay in Paris. A smaller, earlier version can be seen at the Courtauld Gallery, London. The painting features a nude woman casually lunching with two fully dressed men. Her body is starkly lit and she stares directly at the viewer. The two men, dressed as young dandies, seem to be engaged in conversation, ignoring the woman. In front of them, the woman's clothes, a basket of fruit, and a round loaf of bread are displayed, as in a still life. In the background, a lightly clad woman bathes in a stream. Too large in comparison with the figures in the foreground, she seems to float above them. The roughly painted background lacks depth, giving the viewer the impression that the scene is not taking place outdoors, but in a studio. This impression is reinforced by the use of broad "studio" light, which casts almost no shadows. The man on the right wears a flat hat with a tassel, a kind normally worn indoors. #eduardmanet #theluncheononthegrass #ledejeunersurlherbe #impression #postimpressionism #art #artist #arthistory #painting #paintings

A post shared by artcompletely (@artcompletely) on

3. Pierre-August Renoir, (1841-1919)

O estilo distinto de Renoir é caracterizado por suavidade, voluptuosidade e sensualidade. De todos os impressionistas, suas obras são consideradas as mais “tradicionais”, e ele é conhecido por capturar paisagens e ocasiões de lazer, como o Almoço do Partido Náutico. Algumas de suas obras mais famosas incluem o Ball no Moulin de la Galette (1876), que captura a vida parisiense em Montmartre, Dance in Bougival (1883), The Bathers (1918 – 1919) e La Grenouillère (1869).

4. Gustave Caillebotte, 1848 – 1894

Um dos principais pintores impressionistas, Caillebotte é frequentemente ofuscado por seus contemporâneos, embora a última década tenha trazido várias exposições dedicadas ao artista. Independentemente rico, Caillebotte financiou as exibições de arte impressionistas, comprou obras de seus colegas e até ajudou seu amigo Monet a sair de algumas dificuldades financeiras. Uma de suas obras mais inconfundíveis é a Paris Street, Rainy Day (1877), que pode ser encontrada no Instituto de Arte de Chicago.

5. Berthe Morisot, 1841-1895

Uma das poucas pintoras impressionistas, Morisot casou-se com o irmão de Manet, Eugène, também pintor. Seu trabalho era romântico e suave, com um toque feminino fantasioso, e evocava uma sensação de intimidade, muitas vezes retratando pessoas durante momentos aparentemente privados. The Cradle (1872) mostra sua irmã olhando para seu bebê, Young Girl in a Ballgown (1879) e The Port of Nice (1882) estão entre seus trabalhos mais notáveis.

6. Camille Pissaro, 1830 – 1903

Este paisagista dinamarquês-francês nasceu na ilha de St. Thomas, mas acabou morando na França, onde foi educado. Ele passou muito tempo fora de Paris, pois preferia viver e trabalhar ao ar livre. O Boulevard Montmartre em uma manhã de inverno (1897), é parte de uma série dedicada às grandes avenidas de Paris, The Large Walnut Árvore em l’Hermitage (1875) e Tarde Sunshine, Pont Neuf (1901) estão entre os seus mais notáveis.

7. Marie Bracquemond, 1840 – 1916

Outra senhora que invadiu o clube, Marie Bracquemond, muitas vezes voa sob o radar, em parte devido ao marido, Félix Bracquemond, um artista conhecido que se ressentia de seu talento. Ela é conhecida por suas implementações extravagantes de cores e texturas, além de uma luminosidade distinta e um toque delicado. Algumas de suas obras mais famosas incluem Chá da Tarde (1880), um retrato de sua irmã sentada no jardim lendo um livro ao lado de uma mesa com chá, Três Mulheres com Guarda-chuvas (1880) e Pierre Painting a Bouquet (1887), que retrata o filho dela.

8. Edgar Degas, (1834 – 1917)

Alguns podem ser mais rápidos em associar o nome de Degas a suas bailarinas do que aos impressionistas, mas ele é emblemático do movimento. Além de sua colorida coleção de retratos de dançarinos, as obras mais famosas de Degas incluem The Absinthe Drinker (1876), A Cotton Office em Nova Orleans (1873) e Place de la Concorde (1876).

9. Mary Cassatt, 1844 – 1926

Uma americana expatriada em Paris, Mary Cassatt capturou principalmente mulheres e crianças em cenários espontâneos. Ela teve uma profunda amizade com Degas, que a pintou algumas vezes, e foi através dele que ela se envolveu com os impressionistas. O Banho da Criança (1893), Mãe e Filho antes de uma Piscina (1898) e Mulher com um Colar de Pérolas em um Loge (1879) estão entre seus trabalhos mais notáveis.

10. Frédéric Bazille, 1841 – 1870

Bazille é responsável por lançar as bases do movimento impressionista. Quando ele se alistou na guerra franco-prussiana, ao contrário de muitos de seus amigos que fugiram para evitar o recrutamento, sua vida foi tragicamente curta, aos 28 anos ele foi morto em combate. Infelizmente, ele faleceu antes da primeira exposição impressionista e, embora seus trabalhos não tenham sido exibidos, ele ainda é considerado fundamental para o movimento. Um dos primeiros a pintar do lado de fora, seus trabalhos mais conhecidos incluem The Pink Dress (1864), Family Reunion (1867) e Studio na Rue de La Condamine (1870), nos quais ele se vê cercado por amigos como Manet e Renoir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close