Close
10 esportes internacionais dos quais você nunca ouviu falar

10 esportes internacionais dos quais você nunca ouviu falar

O mundo é um lugar fascinante, assim como os esportes. A seguir, você confere dez modalidades vindas de diferentes cantos do globo.

Ao passo que esportes como futebol, basquete e críquete dominam em boa parte do mundo, há outras modalidades incríveis para conhecer ou, quem sabe, testar suas habilidades.

Quer você prefira boxe a futebol, corrida a beisebol, é bem provável que vai se sentir tentado a experimentar as variedades esportivas a seguir. Confira 10 esportes incríveis de diferentes partes do mundo!

1. Arnis, Filipinas

Também conhecido como Eskrima, o Arnis é uma arte marcial indígena em que as pessoas se defendem usando as mãos abertas, normalmente com armas improvisadas ou bastões, espadas e facas. Rodopiando em uma velocidade vertiginosa, os praticantes investem uns contra os outros, bloqueando, defendendo-se e atacando à medida que avançam! É muito divertido de assistir, mas a prática exige muita técnica e resistência.

2. Boxe-xadrez, Europa

Criado pelo artista holandês Iepe Rubingh, o boxe-xadrez foi originalmente concebido para ser uma performance artística. Mas atualmente, transformou-se em um esporte competitivo que muitos consideram ser a combinação perfeita entre inteligência e força. Com uma partida de xadrez seguida de uma rodada de boxe, quem conseguir um xeque-mate ou KO primeiro ganha.

3. Chinlone, Myanmar

O esporte nacional de Mianmar, Chinlone, é de natureza não competitiva, sendo mais uma performance ou forma de arte do que um esporte, pois os jogadores são encorajados a tocar a bola da forma mais divertida e criativa possível. Criado para entreter a realeza birmanesa antigamente, o Chinlone é muito divertido de assistir e mostra toda a riqueza da herança cultural de Mianmar.

View this post on Instagram

Le Chinlone est le Takraw Ball de Birmanie, il est fait de rotin tressé. Ce sport est souvent présenté comme une combinaison de football, de danse et de méditation. Allez en Birmanie, vous ne manquerez pas de remarquer la présence très prononcée du Chinlone. Dans les rues et les écoles de Rangoon, de Mandalay, de Pathein, de nombreux enfants s’y adonnent. On ne le pratique pas seulement dans un but distractif, il participe à l’éducation des enfants et à l’édification des jeunes gens. On y acquiert des valeurs, des aptitudes physiques dont l’agilité, la technicité et la dextérité. #jugglepro #sport #birmanie #football #chinlone #jonglage #jonglagepied #freestyle #streetstyle #juggling #skills #football #footballfreestyle #sportchinlone #asie #sportasiatique #sportasie

A post shared by JugglePro (@juggle_pro) on

4. Dandi Biyo, Nepal

Jogado por dois ou mais jogadores, o Dandi Biyo envolve um bastão e um pino de madeira, chamados respectivamente de dandi e biyo, sendo este posicionado dentro de um buraco no chão. A ideia é que um jogador alavanque o pino ao ar com o bastão e que os demais o apanhem em seguida. Os pontos também são atribuídos se ninguém o apanhar ou se o jogador conseguir atirá-lo de volta para o buraco.

5. Hurling, Irlanda

Jogado por mais de 4.000 anos (!!!), o hurling ainda é extremamente popular na Irlanda. O objetivo é que os jogadores marquem pontos ou gols batendo em uma bola com um bastão de madeira, tentando fazê-la passar pelo goleiro ou por cima do travessão e entre as traves. Embora seja muito divertido de jogar, levar uma pancada do bastão utilizado nas partidas não deve ser muito legal!

View this post on Instagram

#hurling #ireland

A post shared by Breda Canty (@bredacanty) on

6. Kabaddi, Bangladesh

Assim como no famoso “pega-pega”, no kabaddi equipes de sete membros se enfrentam em uma quadra com um jogador por vez avançando periodicamente para o território do time adversário. Os pontos são marcados de acordo com a quantidade de jogadores da outra equipe que cada participante toca antes de ser tocado.

View this post on Instagram

#kabaddi

A post shared by TeraYaar🅱️agri….🙏 (@sunilbagri07) on

7. Peteca – Brasil

O nome do esporte vem do objeto no qual o jogo gira em torno. É muito comum ver as pessoas jogando peteca nas lindas praias brasileiras. Neste esporte tradicional de origem indígena, o objetivo é bater na peteca com as mãos, fazendo-a passar por cima de uma rede, até que um dos lados não consiga mais rebatê-la. É muito divertido jogar e assistir, principalmente na praia!

View this post on Instagram

💛💙 #peteca #intermed

A post shared by Sendo Leve (@maisatupina) on

8. Rodeio chileno, Chile

Sendo um esporte nacional e tradicional do Chile, o rodeio envolve dois cavaleiros que precisam impedir que um bezerro corra em torno de uma arena. Com pontos atribuídos pela técnica e o número de vezes que os cavaleiros conseguem pará-lo, o rodeio é realmente emocionante de se ver!

View this post on Instagram

#rodeochileno #chileanrodeo #horse #caballo

A post shared by Enrique Alvayay (@pollux178) on

9. Sepak Takraw, Sudeste Asiático

Muito popular no sudeste asiático, é improvável que você esqueça da primeira partida de Sepak Takraw que assistir! Com movimentos muito rápidos, os jogadores podem usar qualquer parte do corpo, exceto os braços e as mãos, para tentar passar a bola para o outro lado da rede, que lembra um pouco a do vôlei, porém posicionada em uma altura menor. Com chutes aéreos impressionantes, assistir a partidas de Sepak Takraw é uma experiência incrível!

10. Buzkashi, Ásia Central

Comum tanto no Cazaquistão e Quirguistão como nas comunidades turcas em outros países da Ásia Central, o Buzkashi com certeza não é para os fracos de coração. O jogo centenário envolve jogadores a cavalo competindo ferozmente por uma cabra ou bezerro decapitado (sim, isso mesmo!). Os pontos são marcados quando um dos competidores consegue jogar a carcaça no gol (uma estrutura circular, com um buraco no centro) da equipe adversária. Observação: a cabra não é morta apenas para as partidas do jogo, pois é assada posteriormente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close