Close
10 locais mitológicos que você não pode perder

10 locais mitológicos que você não pode perder

Os mitos se tornam ainda mais fascinantes quando você pode visitar seus cenários. Aí vão 10 lugares mitológicos pelo mundo para visitar hoje.

Nos tempos antigos, antes do rádio, dos filmes ou da HBO – na verdade, antes de que a gente conseguisse escrever sobre as coisas –, as pessoas compartilhavam e ouviam histórias. Hoje em dia, nos referimos a estas histórias de deuses e heróis como “mitos”. Como todos sabemos, toda história acontece em um (e algumas vezes mais de um) lugar em particular, assim que pensamos em compartilhar alguns dos lugares lendários que – ainda que pertençam à mitologia – sejam também locais reais que você pode visitar.

1. A Rocha de Andromeda, Jaffa, Israel

A cidade costeira de Jaffa, ao lado de Tel Aviv, tem origens bíblicas: dizem que foi fundada por um dos filhos de Noé, Jafé, após o dilúvio. A Rocha de Andrômeda fica perto da costa de Jaffa, que, segundo a mitologia grega, é o lugar onde a princesa Andrômeda foi acorrentada como sacrifício a um monstro marinho antes de ser resgatada por Perseu.

2. Yomi-no-Kuni, Japão

De acordo com a tradição xintoísta, Yomi é o reino dos mortos. As tradições japonesas dizem que este é o lugar para onde as pessoas vão depois da morte. O lugar seria governado por Izanami, uma espécie de deusa criativa e divindade-mãe do Japão, e sua entrada estaria localizada na antiga província de Izumo, o que hoje seria a parte oriental da província de Shimane, na região de Chugoku. De acordo com a lenda, a entrada está selada por uma pedra gigante.

3. O Jardim das Hespérides, Cirene, Líbia

Esse jardim é conhecido na mitologia por ter sido o presente de casamento de Zeus para Hera, contendo uma árvore com maçãs douradas, fruto encantado que Hércules teve que recuperar em seu décimo primeiro trabalho. A lenda diz que Cirene (agora Benghazi), uma cidade na costa da Líbia, era onde ficava o jardim. Algo certo é que hoje você ainda pode ver os restos do Templo de Zeus e do Santuário de Apolo – e são locais que deixarão você de queixo caído.

4. Scylla e Charybdis, Estreito de Messina

Diz a lenda que Scylla e Charybdis eram dois monstros marinhos em forma de pedra gigante e redemoinho, respectivamente, os quais naufragariam a embarcação de qualquer marinheiro que ousasse navegar entre eles. Ambos são mencionados na lenda de Jason e os Argonautas, assim como em “A Odisseia”, mas esse mito é ainda anterior à jornada de Odisseu. Na lenda, Scylla era uma ninfa que foi transformada num terrível monstro marinho pela bruxa Circe. Desesperada, Scylla se esconde em uma caverna onde conheceu outro monstro marinho, Charybdis, uma deusa que havia sido punida por Zeus por sua ganância. Ele havia transformado Charybdis num redemoinho monstruoso que sugava e expelia todas as águas do mar, incluindo qualquer infeliz navio que estivesse nos arredores. Scylla e Charybdis eram alegorias dos dois extremos das costas da Calábria e da Sicília – em Torre Faro, para ser mais preciso – os quais formam o Estreito de Messina, local de difícil navegação devido às fortes correntezas sempre presentes.

5. Eea, Promontório Circeo

Acabamos de falar de Circe, a feiticeira que, entre outras coisas, transformava homens em porcos – o destino de alguns dos companheiros de Odisseu. Existem relatos diferentes sobre a localização da ilha de Eea, seu lar mítico. “A Odisseia” menciona uma ilha, e é por isso que muitos identificaram ela como sendo Ponza ou Ustica. Entretanto, a teoria mais aceita diz que deveria ser o Promontório Circeo, local que parece uma ilha quando visto do mar.

6. Caverna de Calypso, Gozo

Em sua jornada de volta a Ítaca em “A Odisseia”, Odisseu faz diversas paradas, todas por um longo período de tempo. Em uma determinada ocasião, ele fica na ilha de Ogygia por sete anos, junto com Calypso, quem vivia numa profunda caverna, a qual diz a lenda que se abria em direção a jardins idílicos com vegetação exuberante, rios, córregos e nascentes. A Caverna de Calypso fica na ilha de Gozo e, ainda que seja fechada para visitação há alguns anos, você ainda pode admirar uma visão aérea de Ramla l-Hamra, a bela praia de areia vermelha.

7. 7. O Labirinto do Minotauro, Creta

O mito do fio de Ariadne, Teseu e o labirinto do Minotauro vive até hoje em Creta– na verdade, está mais vivo do que nunca. O Palácio de Knossos, a casa mítica do próprio rei Minos, fica nos arredores de Heraklion, a capital de Creta. Sua complexa e intrincada arquitetura não é nada menos que um labirinto da vida real.

8. O Reino das Fadas, Knockma Hill, Irlanda

Diz a lenda que as fadas irlandesas habitam nas colinas do país. O reino das fadas, governado pelo rei Finvarra, ficaria no subsolo, abaixo da colina encantada Knockma (Cnoc Meadha), perto de Galway. Sua entrada é marcada por uma vala visível até hoje na colina. Segundo a lenda, ela foi cavada por um nobre enquanto tentava resgatar sua esposa que havia sido sequestrada pelo rei das fadas.

9. A Morada Sagrada dos Deuses, Monte de Tara, Irlandad

Once again in Ireland, but moving on to a place near Dublin. Próximo a Skryne, no Condado de Meath, está o Monte Real de Tara, um importante local por diversas razões. Em primeiro lugar, a Pedra do Destino (Lia Fáil) se encontra no topo do monte. É um monólito mítico que, segundo a lenda, sem ele a Irlanda teria sido destruída. Além disso, o Monte de Tara era o lugar onde os Tuatha Dé Danann viviam, uma raça de seres sobrenaturais que representa as divindades da Irlanda gaélica.

10. O túmulo da Rainha Branwen, foz do rio Afon Alaw, país de Gales

O Mabinogion é uma coleção de textos em prosa que registram fatos históricos datados da Idade Média, entre mitos e tradições antigas, com alguns remontando à Idade do Ferro. Uma das histórias conta que a Rainha de Branwen, juntamente com outros sete sobreviventes, chegou ao país de Gales depois de fugir da Irlanda, que havia sido dizimada por uma guerra sangrenta. A foz do rio Afon Alaw, em Anglesey (local chamado Aber Alaw, em galês) é onde, segundo a lenda, a rainha morreu de coração partido depois de lançar um olhar final para a costa irlandesa. Dizem que seu local de enterro foi em Llanddeusant, às margens do Alaw.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close