Close
Pelo mundo com 8 pinturas de Salvador Dalí

Pelo mundo com 8 pinturas de Salvador Dalí

Hoje, o Musement apresenta oito das pinturas mais representativas de Salvador Dalí.

Salvador Dalí Domènech (1904–1989), juntamente com Pablo Picasso, foi um dos artistas espanhóis mais importantes do século XX. Pintor surrealista, além de escritor, decorador, escultor e pensador, Dalí possuía muitas facetas e uma personalidade peculiarmente excêntrica, conhecida muito além de Figueres, seu local de nascimento. Inspirado pelo subconsciente, seu trabalho está intimamente ligado à sua própria história e pode ser encontrado em diversas partes do mundo. A maioria de suas pinturas fica no Museu-Teatro Dalí, em Figueres, na Casa Salvador Dalí, em Port Lligat, e no Castelo Gala Dalí, em Púbol.

Anteriormente, falamos sobre as obras mais emblemáticas de grandes artistas como Van Gogh, Monet, e Picasso. Agora, vamos dar uma olhada em algumas das pinturas mais representativas de Salvador Dalí.

1. “A Persistência da Memória”, 1931

Você sabia que “A Persistência da Memória”, a obra mais famosa de Dalí, foi pintada em apenas algumas horas e que o artista foi inspirado a pintá-la depois de comer queijo Camembert no jantar? O simbolismo dos distintos relógios ondulados da obra (representando a deformação do tempo com a paisagem de um nascer do sol na vila de Port Lligat) torna essa pintura a óleo uma das mais emblemáticas do artista.

Local: MoMA, Nova York

2. “Sonho causado pelo voo de uma abelha em torno de uma romã segundos antes de despertar”, 1944

Esta pintura a óleo surrealista sobre madeira impressiona devido à harmonia das figuras e cores em sua composição. A teoria freudiana ganhou popularidade tratando de explicar o simbolismo por trás da pintura. Em outras palavras, a obra expressa a disposição de Dalí em representar o subconsciente através de imagens criadas durante o sono. Assim, vemos sua musa, Gala, dormindo e levitando com um cenário tranquilo ao fundo e uma abelha que provoca seu sonho. Na parte superior, há dois tigres atacando, um dos quais está saindo de um peixe, que está saindo da romã, além de uma baioneta.

Local: Museu Thyssen-Bornemisza, Madri

3. “A Tentação de Santo Antônio”, 1946

Santo Antônio é o protagonista desta famosa pintura de Dalí, na qual é retratado como um mendigo ajoelhado no deserto, protegendo-se das tentações ocultas ao levantar a cruz. Essas tentações são representadas, primeiramente, por um cavalo e uma fila de elefantes deformados com pernas extremamente longas. O cavalo representa a tentação do triunfo, enquanto a mulher em cima do primeiro elefante representa a tentação do sexo, e as pirâmides nas costas dos dois elefantes representam a tentação da ganância.

Local: Museu Real de Belas Artes da Bélgica Bruxelas

View this post on Instagram

#latentaciondesanantonio #salvadordali

A post shared by Pedro (@pinksplot) on

4. “Figura na Janela”, 1925

Nesta obra inicial, Dalí ainda não havia adotado o estilo surrealista que o definiu. Nesse estágio de experimentação e aprendizado, o artista usou o realismo para representar sua irmã Anna Maria, de 17 anos, olhando pela janela de costas para quem a vê. Os tons azuis predominam, enquanto a figura feminina nos convida a contemplar o panorama através da janela. O quadro foi pintado durante as férias da família em Cadaqués.

Local: Museu Reina Sofia, Madri

5. “Cristo de São João da Cruz”, 1951

O “Cristo de São João da Cruz” se destaca pela perspectiva de um Jesus crucificado, pintado de cima, fazendo da cabeça o ponto central da obra. Demonstrando sua grande habilidade técnica com o claro-escuro, Dalí também conseguiu retratar a baía de Port Lligat na parte inferior da pintura com um ar místico e dois pescadores que, na realidade, são pintores famosos.

Local: Galeria e Museu de Arte Kelvingrove, Glasgow

6. “O Grande Masturbador”, 1929

Com um forte componente biográfico, “O Grande Masturbador” revela as obsessões de Dalí, especificamente com o sexo, que podemos deduzir simplesmente ao ver o título do trabalho. Se examinarmos atentamente, o quadro representa uma mistura de cabeça humana e rochas sombreadas em amarelo. Entre os elementos mais importantes está o gafanhoto, um inseto que aterroriza Dalí desde a infância, na boca da figura. O gancho representa laços com sua família que queriam que ele retornasse ao estilo de vida tradicional, enquanto o leão simboliza os desejos sexuais do artista.

Where: Museu Reina Sofia , Madri

7. “Metamorfose de Narciso”, 1937

Sendo outra das obras mais representativas de Salvador Dalí, este quadro gira em torno do mito grego do jovem Narciso, que se apaixonou por seu próprio reflexo depois que a deusa Afrodite o puniu por rejeitar a ninfa Eco. Narciso se afogou tentando beijar seu próprio reflexo na água do lago, e uma flor com seu nome brotou de seu corpo. Embora Dalí não tenha aderido estritamente à mitologia em suas obras, ele foi inspirado pela história e pelo conceito psicanalítico do narcisismo derivado dela para representar a libido sobre o próprio corpo.

Local: Tate Modern, Londres

8. “Sono”, 1837

Esse óleo sobre tela mostra uma estrutura mole na forma de cabeça sem corpo adormecida e sustentada por muletas. Evoca a sonolência, que é um elemento extremamente importante para o trabalho surrealista por sua conexão com o mundo do subconsciente. No entanto, diz-se que a grande inspiração de Dalí para criar a tela foi a angústia provocada durante a Guerra Civil Espanhola e o desejo de se libertar do horror através do sono.

Local: Coleção Edward James

Foto de capa: WikiImages de Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close