Close
6 curiosidades que talvez você não conheça sobre a Pinacoteca de Brera

6 curiosidades que talvez você não conheça sobre a Pinacoteca de Brera

Vamos descobrir juntos algumas das curiosidades mais intrigantes sobre a Pinacoteca de Brera e o palácio que a abriga.

A Pinacoteca de Brera é parada obrigatória em Milão. A galeria está localizada em um edifício histórico na capital lombarda, o Palazzo Brera que foi construído no século XVII. Além da galeria de arte, o palácio abriga várias instituições, uma biblioteca e, nos seus jardins, um jardim botânico.

Uma das características mais peculiares da Pinacoteca de Brera é que seu acervo abriga obras de diferentes escolas. Assim, é possível admirar amostras da arte lombarda, toscana, veneziana e até flamenga em um só lugar. O mérito deste amplo e variado acervo está na concepção original do museu, pois o objetivo era ter um acervo que mostrasse a arte italiana de todas as regiões do país em diferentes momentos históricos. A seguir, contaremos algumas curiosidades sobre este museu repleto de obras incríveis.

1. É a sede de uma escola

A Pinacoteca (ou melhor, o Palazzo Brera) é a sede da Academia de Belas Artes. Foi fundado diretamente por Maria Teresa da Áustria com a intenção de criar um centro cultural que incluísse várias instituições. Entre seus alunos mais ilustres estão Carlo Carrà (um dos pais do futurismo), o Prêmio Nobel de Literatura Dario Fo, o pintor Ernesta Legnani e Lucio Fontana.

2. Brera deriva de “braida” (“terra não cultivada”)

O nome do palácio deriva do termo lombardo braida, que significa algo como “campo, terreno não cultivado ou terreno próximo a uma área construída”. Quem poderia imaginar que um dos lugares mais centrais, históricos e característicos de Milão tivesse uma origem tão humilde?

3. Abriga a obra O beijo de Francesco Hayez

Entre as diversas obras de arte da galeria, o beijo de Hayez é sem dúvida uma das mais famosas e apreciadas. A pintura também esconde uma mensagem política, pois, segundo vários historiadores, a pintura tem alma patriota. O jovem que cumprimenta sua amada está prestes a sair para lutar, enquanto um espião austríaco os observa pela esquerda.

4. Seu jardim botânico

Dentro do magnífico palácio, tanto os estudantes da academia quanto os visitantes podem desfrutar de um maravilhoso jardim botânico. As origens deste espaço remontam a 1774, quando a velha escola passou para as mãos do governo. O jardim botânico ainda preserva várias plantas oficinais, mais ou menos raras. Entre as inúmeras espécies, vale destacar dois exemplares de Ginkgo bilobas, machos e fêmeas, com pelo menos dois séculos e meio de idade.

5. Era a sede do Convento dos Humilhados

O palácio foi erguido no que era originalmente o convento dos Humilhados, uma antiga ordem que foi suprimida pelo Papa Pio V, por sua suposta proximidade com o Calvinismo. Em seguida, passou para as mãos dos Jesuítas, que criaram uma escola no local. Posteriormente, após a abolição da ordem dos jesuítas e a pedido do governo austríaco e de Maria Teresa da Áustria, sua função escolar foi ampliada e novas instituições foram criadas.

6. Uma estátua muito fantástica

A última curiosidade sobre a Pinacoteca de Brera e seu palácio diz respeito à estátua localizada no pátio interno. Na entrada do palácio, encontra-se uma estátua de Napoleão, na qual é representado como uma divindade grega, sem o uniforme geral típico a que todos estamos habituados. Há rumores de que, após críticas por ter feito o imperador “bonito demais”, Canova respondeu que nem mesmo Deus poderia “ter feito um homem vestido assim bonito”. Em defesa do artista, podemos dizer que Napoleão não seguia muito a moda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close