Close
7 dias e 7 inesquecíveis experiências nos Açores

7 dias e 7 inesquecíveis experiências nos Açores

Há um local único no mundo onde vai encontrar paisagens de cortar a respiração, natureza no seu estado puro e gastronomia como nunca provou.

Não sabemos se foi um acaso da natureza, uma obra divina ou até um segredo perdido no meio do oceano, mas o que sabemos é que só nos Açores consegue ter tantas experiências marcantes em tão pouco tempo. E não se admire se no final da viagem ficar a pensar “e se eu viesse viver para aqui?”. É o efeito dos Açores.
Para o ajudar, criámos um roteiro de 7 dias com 7 experiências que vão pôr os Açores no seu TOP de destinos de sempre.

1ª – Provar tudo o que São Miguel tem para si

São Miguel é a maior e mais famosa ilha dos Açores. É aquela que está em todos os guias turísticos e por uma boa razão: tudo é bom aqui. Principalmente a comida. Neste primeiro dia de viagem, deixe a dieta de lado e experimente todos os sabores do Açores.
Comece no Mercado da Graça, em Ponta Delgada, onde os locais costumam ir comprar os produtos mais frescos e peça para provar o ananás dos Açores, espécie única no mundo, produzida em estufas artesanais, sem pesticidas e inseticidas. Consegue imaginar o sabor único balançado entre a acidez e a doçura? Se preferir um fruto mais doce. Já que está no Mercado, dê uns passos ao lado e vá ao Rei dos Queijos. São centenas de queijos para deliciar a vista e a boca, porque pode experimentar todo os queijos que quiser, antes de escolher os que vai levar para casa (e acredite que vai querer levar muitos para casa).
Para uma refeição com o sabor da terra, visite as Furnas e veja como é feito o cozido das Furnas, uma mistura de carnes e vegetais cozido lentamente aproveitando o calor do solo vulcânico. Pode provar esta iguaria no restaurante Tony’s ou então, melhor ainda, juntar-se aos locais e cozinhar o seu próprio cozido e pedir para colocar num dos buracos disponíveis e esperar cerca de 6 horas.
No fim do dia, não siga os turistas e acompanhe os locais num jantar bem típico no Cais 20. Prove as Cavacas, as Cracas, as Lapas e o Atum e acompanhe com uma Sangria de Maracujá.

2ª – Lagoas

Prepare o seu queixo, pois neste segundo dia ele vai cair muitas vezes ao ver a beleza natural das lagoas de São Miguel. Aqui não há como fugir ao sítios mais turísticos, mas revelamos-lhe um segredo no final.
Comece pela Lagoa das Sete Cidades, a maior lagoa da ilha. Para ter uma visão completa da lagoa pare no miradouro mais turístico, a “Vista do Rei”, ou aventure-se para o Miradouro das Cumeeiras, sem multidões onde pode tirar fotos que lhe vão valer muitos likes no Instagram.
De seguida, dirija-se para a Lagoa do Fogo, a segunda maior lagoa da ilha. Deixe o carro no Miradouro da Lagoa do Fogo, tire muitas fotos e desça até ao nível da lagoa e à sua praia. São 2km que vão valer muito a pena, porque só assim vai conseguir andar pela natureza praticamente sozinho (poucas são as pessoas que fazem este caminho) e experimentar estar numa praia idílica completamente deserta.
Mas se quiser a lagoa mais secreta da ilha, então dirija-se à Lagoa do Congro. Para lá chegar tem que andar por 20 minutos (as coisas boas vêm para quem espera) entre troncos e descidas íngremes, mas quando tudo acabar verá o paraíso à sua frente. Já imaginou ter uma lagoa só para si?

3ª – O calor

Para além da temperatura nos Açores ser amena durante todo o ano, no terceiro dia propomos que experimente o calor que a terra de São Miguel tem para oferecer. As termas são uma experiência única para relaxar e sentir o poder da água aquecida naturalmente a 38º.
O Parque da Terra Nostra é um dos melhores exemplos, com uma piscina bem grande envolta por um parque natural. Antes de mergulhar, dedique uma ou duas horas para explorar as árvores, flores e animais que habitam no parque.
Não se assuste com a água laranja, é devido ao ferro presente na água. Uma dica: no que toca a indumentária, leve um fato de banho velho, pois apesar de não lhe fazer mal nenhum à pele, vai manchar a roupa. Mas de resto, nas piscinas termais, as preocupações não existem e o tempo passa muito devagar.

View this post on Instagram

#açores #saomiguel #parqueterranostra

A post shared by Mariana A Miserável (@marianaamiseravel) on

4ª – Sinta-se pequenino nas fajãs de São Jorge

No quarto dia vamos para a ilha de São Jorge, famosa pelo queijo, mas também pelas fajãs: áreas planas junto ao mar, formadas no fundo de falésias incríveis que o vão fazer sentir-se bem pequeno. Apesar de ter várias fajãs impressionantes pela ilha, sugerimos que vá a uma das mais impressionantes: a Fajã do Ouvidor. Depois de conhecer a fajã, siga o trilho e dê um mergulho na Poça do Simão Dias, não sem antes apreciar a água cristalina no meio de uma falésia de rochas negras.

5ª – Suba ao Pico e toque no céu

A montanha mais alta de Portugal espera por si no quinto dia. Vamos para o Pico, uma ilha famosa pelo estratovulcão de 2531 metros de altitude e cuja imponência é só suplantada pela sua beleza.
Mas antes, uma dica. Carregue a bateria do telemóvel e vá pela Estrada Longitudinal (EN3), que atravessa a ilha a meio e tem sempre a montanha à vista. Vai tirar as fotos mais impressionantes que o seu telemóvel já viu, não precisa de agradecer.
Para subir ao Pico só precisa de se registar na Casa da Montanha e ter pernas para subir. São cerca de 3 horas para cada lado. Não vamos mentir, vai-se cansar, mas vai ficar com memórias para a vida.

6ª – Ande em cima de um vulcão ativo no Faial

Há cerca de 60 anos, em 1957, o Faial foi abalado por um vulcão em erupção. O Vulcão dos Capelinhos acordou e mudou para sempre a paisagem da ilha. Felizmente mudou para um cenário fantástico. No sexto dia vamos ao Faial, andar sobre um vulcão que, tecnicamente, ainda está ativo. Que tal esta experiência para uma bucket list?
Se não se quiser aventurar por uma caminhada tão intensa, sugerimos que suba à Caldeira e veja a cratera de 2km que deu origem à ilha. É tão imponente que as poucas pessoas que por lá andam, não falam… sussurram.

7ª – Veja o pôr-do-sol mais bonito da sua vida, na Terceira

No último dia vamos para a Terceira, cujo nome vem da falta de criatividade dos descobridores, já que foi a terceira ilha a ser descoberta. Mas para nós tem tudo para ser a primeira no ranking de melhores experiências.
A encantadora capital da ilha, Angra do Heroísmo, é tão única que foi classificada como Património Mundial pela UNESCO. Nesta cidade tudo parece único e na verdade é, mas não se fique só pela cidade. Dê uma volta pela ilha e veja uma paisagem deslumbrante até à hora do pôr-do-sol.
Nesse momento já tem que estar na Serra do Cume. Um local impressionante que nos leva numa viagem no tempo, para umas centenas de anos atrás. Daqui consegue ver a “manta de retalhos”, campos perfeitamente divididos por rochas vulcânicas, onde o sol se vai pousar e pintar tudo de tons dourados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close