Close
Ao redor da Europa com 12 vinhos diferentes

Ao redor da Europa com 12 vinhos diferentes

Do vinho verde de Portugal ao Sancerre do Vale do Loire, Musement compartilha 12 vinhos típicos do continente europeu.

Seja através de comidas ou coquetéis, nunca devemos subestimar o poder de transporte das nossas papilas gustativas. É praticamente desnecessário dizer que esta filosofia também pode ser aplicada ao vinho. Vamos deixar nosso paladar nos fazer viajar através dos vinhos europeus?

Embora as restrições de viagem estejam começando a normalizar em algumas regiões, a situação global é incerta. Portanto, para ajudar a saciar seu apetite de viajar, confira 12 vinhos europeus que você pode beber em casa.

1. Sancerre, França

Esta Appellation d’origine contrôlée (AOC) fica na parte oriental do lendário Vale do Loire, na margem esquerda do rio. Feitos de sauvignon blanc, os vinhos são ácidos, cítricos, e podem até ter uma nota mineral flácida devido ao terroir. A região também produz um pouco de pinot noir, mas é mais conhecida pelos seus vinhos brancos.

2. Bordeaux, França

Em muitos aspectos Bordeaux não precisa de introdução, mesmo alguém com o conhecimento básico de vinho sabe que as uvas locais vão para os melhores e mais reverenciados vinhos europeus. Centrada em torno de sua cidade homônima ao longo dos rios Garonne e Dordogne e do estuário do Gironde, Bordeaux produz cerca de 700 milhões de garrafas por ano. As uvas dominantes são merlot, cabernet franc e cabernet sauvignon, muitas vezes são misturadas para resultar em tintos intensos, médios e encorpados, com sabores de groselha preta, ameixa, e até mesmo sabores vegetais como pimenta verde. Bordeaux é também o lar de La Cité du Vin, um fascinante espaço de exposição dedicado ao vinho local.

3. Friulano, Itália

Quando se trata de vinhos brancos italianos, o pinot grigio e o prosecco podem ser os primeiros a vir em mente. Sugerimos também ficar de olho no Friulano, a uva branca que caracteriza os Colli Orientali del Friuli, Collio, Isonzo, e Grave del Friuli DOCs. São vinhos brancos de corpo leve a médio, têm muita complexidade e sabor doce como mel, damasco e amêndoa com mais ou menos nuances devido à particularidade de cada terroir.

4. Etna Rosso, Italy

A Sicília tem vinhos incríveis, muitos feitos de uvas colhidas nos contrafortes e encostas do vulcão ainda ativo. O Monte Etna produz alguns dos vinhos mais interessantes do mundo devido a seu solo vulcânico. O Etna Rossa DOC produz vinhos predominantemente da uva nerello mascalese, embora às vezes o nerello cappuccio entra em jogo. Estes vinhos tendem a ser deliciosos, com sabores de frutas maduras e uma terra potente junto com algumas especiarias e fumaça.

5. Tokaji, Hungria

O Tokaji é produzido na região Tokaj na Hungria, ele pode ser feito a partir de seis variedades de uva, sendo a hortelã-pimenta uma das mais dominantes. O vinho em si vem de uvas colhidas em um território protegido pela UNESCO perto dos Cárpatos, o Tokaj é um vinho doce, de cor dourada, feito de uvas que sofreram uma podridão nobre. O Aszú, é o mais conhecido, tem sido feito há séculos e apreciado pela realeza e nobresa ao longo dos séculos.

6. Assyrtiko, Santorini

As ilhas gregas têm de tudo um pouco, e é claro o seu vinho. Assyrtiko é uma uva branca indígena de Santorini, cujo solo com as cinzas vulcânicas influencia no sabor do vinho. Cítrico, mineral e ácido, o assyrtiko é prazeroso e refrescante.

7. Riesling, Alemanha

Embora não seja exclusivo da Alemanha, o riesling teve origem no Vale do Reno e é uma das variedades mais intrigantes e versáteis que existem por aí. Embora tecnicamente um vinho seco, ele pode ser mais doce e tende a ter um sabor distinto de pêssego e damasco, uma acidez agradável e outras nuances deliciosas, dependendo do terroir.

8. Grüner Veltliner, Áustria

A variedade de uva mais plantada da Áustria, o grüner veltliner é um ótimo vinho branco que combina especialmente com pratos vegetarianos. Marcado por frutas com caroço, bem como notas vegetais e, às vezes, um traço de pimenta branca, o vinho é maravilhoso até para ser consumido sozinho em uma noite de verão.

9. Rioja, Espanha e País Basco

Os vinhos de Rioja são elaborados a partir da uva tempranillo nas comunidades autônomas de La Rioja e Navarra na Espanha, bem como na província basca de Álava. Este vinho tânico encorpado tem um sabor de cereja, muitas vezes sobreposto pela baunilha devido ao envelhecimento em carvalho.

10. Vinho Verde, Portugal

O vinho verde é um símbolo emblemático de Portugal, e consiste em nove sub-regiões no Vale do Douro. Várias variedades são utilizadas para produzi-lo vinhos tintos, brancos e rosados.

11. Plavac Mali, Croácia

A Croácia é tão atraente para os amantes de vinho quanto para os fãs de Game of Thrones. Plavac Mali, uma uva vermelha colhida ao longo da costa da Dalmácia, é um cruzamento entre as uvas Crljenak Kaštelanski e Dobričić. Este vinho tânico encorpado tem sabor robusto de frutas escuras como amora e ocasionais notas picantes.

12. Pálava, República Tcheca

Pálava, a descendência de Müller Thurgau e Gewürztraminer, é uma variedade de uva relativamente jovem que floresceu nos anos 50. Produzida na região da Morávia, Pálava é um vinho branco perfumado e encorpado, com frutas de caroço, lichia e algumas especiarias – uma verdadeira delícia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close