Close
8 artistas abstratos que você precisa conhecer

8 artistas abstratos que você precisa conhecer

De Vassily Kandinsky até Jackson Pollock, o Musement compartilha oito dos principais artistas abstratos do mundo.

Há algo absolutamente especial na arte abstrata. Essas representações visuais poderosas nos forçam a mergulhar profundamente em nossas mentes para questionar, ponderar, entender e desvendar a mensagem do artista. Ao mesmo tempo, eles podem, da melhor maneira possível, desconcertar. Independentemente de onde você esteja, não há como negar que os artistas abstratos impactaram profundamente a história da arte, e aqui estão oito deles.

1. Wassily Kandinsky, 1866-1944

Acredita-se que este artista russo tenha liderado todo o movimento da arte abstrata. Ele teve uma vida interessante: nasceu em Moscou e foi criado em Odessa, onde frequentou a escola de arte e depois voltou para Moscou para cursar a universidade, depois se mudou para Munique, pouco antes da Revolução Russa. Na Alemanha, ele viu a ascensão dos nazistas antes de se mudar para a França em 1933, onde viveu pelo resto da vida. Suas obras instigantes exibem diferentes estilos de arte, e algumas de suas mais famosas são Circles in a Circle (1923) no Museu de Arte da Filadélfia, Amarelo, Vermelho, Azul (1925) no Centro Pompidou em Paris, and Composition VII(1913) na Galeria Estadual Tretyakov em Moscou.

View this post on Instagram

Painting: 'Compostion VII (1913), Wassily Kandinsky. Music was the underlying theme in Kandinsky's paintings. He believed that shades had the capacity to resonate with each other and produce visual 'chords'. This had a powerful influence on the soul. . He said, "Color is the keyboard, the eyes are the harmonies, the soul is the piano with many strings. The artist is the hand that plays, touching one key or another, to cause vibrations in the soul". . #wassilykandinksy #kandinsky #compositionVII #inspiredbymusic #abstractart #russianartist #expressyourself #paintwhatyoulove #painting #artclass #artclasskolkata #worldofart #loveart #getcreative #creativity #createart #discoverart #arteducation #artforeveryone #artforartssake #inspiration #artinspiration #kolkataart #artinkolkata #encouragingcreativity #artroomkolkata

A post shared by ARTROOM Kolkata™️ (@artroom_kolkata) on

2. Jackson Pollock, 1912-1956

Este estimado artista abstrato expressionista americano é mais conhecido por pinturas coloridas e de gotejamento, durante sua carreira apareceu na capa da Life Magazine e foi apresentado na Bienal de Veneza de 1948. Algumas de suas obras mais famosas incluem Mural (1943), que Peggy Guggenheim encomendou para sua casa em Nova York, The She-Wolf (1943), que está em exibição no MoMA e Númber 5 (1948), vendido por um recorde de US $ 140 milhões em um leilão em 2006.

3. Piet Mondrian, 1872-1944

Este artista holandês é conhecido pelo uso do estilo neoplasticismo, no qual implementou cores primárias, geometria e assimetria em um estilo tão notável que Yves Saint Laurent desenhou vestidos inspirados em seu trabalho. Sua Broadway Boogie-Woogie (1942-1943) e Composition in Planes (1914) estão no MoMA, enquanto obras de suas inconfundíveis composições de cores primárias podem ser encontradas em vários locais.

View this post on Instagram

Piet Mondrian, Composition No. III, with Red, Blue, Yellow, and Black, 1929, 1929. Purchased in 1997 for $4,182,500 and sold in 2015 for $50,565,000, resulting in a return of 12x for the seller. —- Inspired by Post-Impressionism and the Cubist painters, Piet Mondrian’s search for the essence of painting led him to develop Neo-Plasticism in 1917. This visual aesthetic was limited to a fundamental sense of design: horizontal and vertical lines and the sole use of primary colors. The above featured painting, “Composition No. III, with Red, Blue, Yellow, and Black”, is a vibrantly mature example of the artist’s vision, and is one of a series of nine works, most of which are housed in institutional collections. Upon completion in 1929, the painting was exhibited at the Stedelijk Museum in Amsterdam and subsequently gifted to Mondrian’s friend and fellow artist, Michael Seuphor. Seuphor, an alias for Fernand Bercklelaers, was the founder of the Cercle et Carré (Circle and Square) group that included artists such as Wassily Kandinsky and Kurt Schwitters, in addition to Piet Mondrian #artfinance #artinvesting #invest #investing #investment #alternativeinvestments #money #business #investor #entrepreneur #property #finance #trading #wealth #financialfreedom #luxury #art #artist #artoninstagram #pietmodrian #modernart

A post shared by Masterworks.IO (@masterworks.io) on

4. Agnes Martin, 1912 – 2004

Uma pintora minimalista abstrata americana-canadense, Agnes Martin está intimamente associada a Taos, Novo México, onde passou a maior parte de sua vida adulta. Suas obras têm uma qualidade delicada e muitas vezes retratam grades e formas geométricas que podem conjurar uma sensação calmante dentro do espectador. Entre seus trabalhos mais marcantes estão Untitled 1992, no Guggenheim, em Nova York, Harbour 1 (1957) no MoMA e Happy Holiday (1999), no Tate Modern.

View this post on Instagram

#WorkoftheWeek is Agnes Martin's 'I Love the Whole World' 1999. Agnes Martin described having ‘inspirations’ that catalysed the creation of each new work. Seeing the finished painting in her mind’s eye, she would translate this vision into reality, methodically measuring out the divisions of the canvas as she had seen them. However, as she said, ‘we can see perfectly, but we cannot do perfectly’, so while her ‘inspiration’ was perfect, the final painting always contained slight imperfections brought about by the human hand. Martin aimed at perfection in the full knowledge that she could not achieve it: ‘I hope I have made it clear that the work is about perfection as we are aware of it in our minds but that the paintings are very far from being perfect – completely removed in fact – as we ourselves are.’

A post shared by Tate (@tate) on

5. Willem De Kooning, 1904-1997

Este artista abstrato expressionista holandês fez sua casa em Nova York, onde se reuniu com uma multidão artística que incluía Jackson Pollock. Ele geralmente interpretava pessoas, paisagens e natureza morta, e seus trabalhos mais emblemáticos incluem Excavation (1950), que pode ser encontrado no Instituto de Arte de Chicago, Seated Man (1939) no Museu de Arte Americana Whitney e Woman, 1 (1950-52), no MoMA.

6. Mark Rothko, 1903 – 1970

Pintor americano de ascendência judaica-lituana, Rothko não se considerava parte de nenhum movimento artístico, embora geralmente seja classificado no gênero expressionista abstrato. “Estou interessado apenas em expressar emoções humanas básicas – tragédia, êxtase, destruição e assim por diante”, afirmou ele sobre seu trabalho, que é diferenciado por retângulos verticais alinhados em cores vivas contra um pano de fundo colorido. Seu trabalho é arrebatador e você pode encará-lo por horas. Fique de olho em Black on Maroon (1959) no Tate Modern em Londres, No. 61 (Rust and Blue) (1953) Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles e No 14 (1960) no Museu de Arte Moderna de São Francisco.

7. Bridget Riley, 1931 –

Uma das principais artistas vivas do Reino Unido, Bridget Riley leva a arte abstrata a um novo nível via Op Art, ou Optical Art, um gênero caracterizado por ilusões de ótica. Veja Fall (1963) e Hesiate (1964) entre vários outros na Tate Modern e Current (1965) no MoMA.

8. Paul Klee, 1879 – 1940

Esse artista suíço teve um estilo individual envolvido em vários movimentos artísticos, incluindo expressionismo, cubismo e surrealismo, ele disse ter tido uma forte influência no movimento de arte abstrata. Hitler classificou sua Twittering Machine (1922) como “arte degenerada”. Hoje, o trabalho está em exibição no MoMA e as reimpressões adornam as paredes dos quartos das crianças em todo o mundo. Seus outros trabalhos populares incluem Flower Myth (1918) no Museu Sprengel em Hannover e Ad Parnassum no Kunstmuseum em Berna.

View this post on Instagram

#PaulKlee #TwitteringMachine #Swiss#German#painter #MuseumofModernArt#NewYork (Twittering Machine is a 1922 watercolor and pen and ink oil transfer on paper by Paul Klee.) Paul Klee (1879–1940) was a Swiss-German painter. His highly individual style was influenced by movements in art that included expressionism, cubism, and surrealism.Klee was a natural draftsman who experimented with and eventually deeply explored color theory, writing about it extensively;his lectures Writings on Form and Design Theory published in English as the Paul Klee Notebooks, are held to be as important for modern art as Leonardo da Vinci's A Treatise on Painting for the Renaissance.He and his colleague, Russian painter Wassily Kandinsky, both taught at the Bauhaus school of art, design and architecture. His works reflect his dry humor and his sometimes childlike perspective, his personal moods and beliefs, and his musicality.

A post shared by @ arthistorypaintings on

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close